#17 manuais - celaine refosco /

05 à 27 de Maio de 2016

Esta exposição é um começo. Ou um recomeço. É composta de vários inícios, de estudos de possibilidades. Não chega a uma conclusão sobre linguagem, nem escolhe resultados - embora use pastel seco sobre papel em todas as peças. É ‘deixar-me guiar’ pelas matérias e pela vontade de falar certo assunto: as atividades que se faz com as mãos, os trabalhos manuais.

Na maioria das vezes são femininos, e muitas vezes têm expressão empreendedora. Muitas são as mulheres que mudaram a sua e outras histórias com agulhas nas mãos. Descendemos delas. 

Esta exposição é um percurso, o meu percurso. Justo pelos desenhos, junto deles, apresento também as peças que estas mãos manuseavam enquanto eu desenhava. 
São objetos para a casa feitos em tricô, crochê, e tear, desenvolvidas dentro do projeto Mulheres de Mafra. além de outras, a partir da malha estampada, matéria prima de segunda mão, resignificando, com as mãos e o olhar, resíduos industriais. Celaine Refosco

MULHERES DE MAFRA /

O Projeto Mulheres de Mafra repensa os resíduos da indústria têxtil, reconhecendo-os como recurso com o qual agricultoras de fumo tecem nova realidade. Sim: a diferença entre resíduo e recurso está na perspectiva. Produzindo e comercializando peças decorativas e utilitárias em crochê, tricô e tear a partir da rama da malha, as Mulheres de Mafra desenvolvem autonomia.

Em 2015, o projeto Mulheres de Mafra obteve reconhecimento por sua relevância, sendo aprovado para a captação de recursos junto ao Ministério da Cultura/PRONAC pela Lei No 8.313/91, conhecida como Lei Rouanet, que permite às pessoas jurídicas e pessoas físicas interessadas doar para o projeto até 70% do valor total devido para o Imposto de Renda.

Através de workshops e encontros para orientação, as Mulheres de Mafra recebem capacitação para que se tornem auto-suficientes em seu novo negócio: inicialmente, a confecção de objetos de decoração e utilitários traz um retorno financeiro que complementa a sua renda, mas o objetivo é que cada pessoa no grupo tenha a possibilidade de escolher não trabalhar mais com o fumo. A troca de conhecimentos, técnicas, capacitação para a gestão e desenvolvimento de produtos são os objetivos principais para este grupo.

A artista /

Celaine Refosco é a Diretora Criativa do Instituto Orbitato. Artista plástica pela Escola de Belas Artes do Paraná – EMBAP, mestre em educação pela Universidade de La Habana/Cuba. Especialista em Design para Habitação pelo CDI, Uruguai/Itália e Diretora de Criação em Moda pela FAAP e MASP/ABIT. Trabalhou com desenho de estampas em importantes indústrias brasileiras, ilustrou a Revista Trip e implantou o curso de Graduação em Moda da Unerj, em Jaraguá do Sul, Santa Catarina, que coordenou de 2003 a 2006. Transita entre a arte e o design têxtil. Tomou a liderança em várias oportunidades em favor da ampliação do conhecimento e da capacidade criadora relacionada a design têxtil, moda e arte. Vislumbrou a lacuna educacional e cultural que permitiu a criação do Instituto Orbitato no cenário industrial catarinense. Coordena o projeto socioambiental Mulheres de Mafra, que oportuniza fumicultoras da cidade de Mafra, gerar renda processando manualmente resíduos têxteis, um problema crescente na indústria.

voltar para exposições